O Athletico se move para conquistar o segundo título nacional da sua história. O time paranaense largou na frente do Internacional na decisão da Copa do Brasil, ao vencer por 1 a 0, na noite desta quarta-feira dia 11, na Arena da Baixada.

O jogo
As duas equipes não abdicaram das suas características na decisão. Enquanto o Athletico iniciou a partida rodando a bola e buscando espaços para chegar ao gol, o Internacional se defendeu e apostou nos contra-ataques.
A estratégia do time gaúcho segurou as triangulações rubro-negras lá atrás e fez com que os visitantes, dentro da sua proposta, chegassem duas vezes com Nico López e uma com Guerrero, ambas sem perigo. A melhor chance saiu dos pés de Uendel, aos 27 minutos, forçando o goleiro Santos a espalmar.
Com a missão de furar a retranca colorada, o Furacão conseguiu chegar apenas em chutes de fora da área. Primeiro, aos 13 minutos, Rony tentou aproveitar a segunda bola e mandou à direita. Mais tarde, aos 23 minutos, Léo Cittadini arriscou, mas o chute saiu torto.
O Inter seguiu com a mesma estratégia na segunda etapa, mas conseguiu se soltar nos minutos iniciais e levou perigo à meta rubro-negra. Aos cinco, Guerrero ajeito de cabeça na área e Patrick finalizou nas redes, mas pelo lado de fora. Aos nove, foi a vez de Edenílson avançar com liberdade e finalizar. A bola desviou em Bambu e passou raspando a trave.
Os sustos acordaram o Athletico, que voltou a ter o controle do jogo. E, com paciência, o time paranaense conseguiu furar o ferrolho dos visitantes. Aos 13 minutos, após bela troca de passes, Marco Ruben serviu Bruno Guimarães, que entrou livre na área e bateu no ângulo de Lomba para abrir o placar.
Com a vantagem, o Furacão esfriou o jogo e com paciência esperou uma chance para liquidar a fatura. Aos 27 minutos, por pouco, não aconteceu. Em jogada de velocidade, Rony puxou para o meio, invadiu a área e bateu forte para grande defesa de Marcelo Lomba.
Se o goleiro colorado evitou o pior de um lado, o rubro-negro garantiu a vitória do outro. Aos 30 minutos, Santos salvou em cima a finalização de Rodrigo Lindoso, que estava na pequena área. Pouco depois, aos 32, D’Alessandro tentou surpreender e o camisa 1 salvou mais uma vez para garantir a vantagem na decisão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui