Foto: Divulgação

A nova parcela de R$ 300 do auxílio emergencial de R$ 600 para mães que chefiam a família começará a ser paga no dia 17 de setembro e os beneficiários do Bolsa Família serão os primeiros contemplados com os pagamentos.

Vale lembrar que a ordem de recebimento segue o critério do final do Número de Identificação Social (NIS) e começa pelo último digito do cartão.

Porém, nem todos vão receber as quatro parcelas de R$ 300. A totalidade do benefício só será depositada para quem começou a receber em abril. Os demais beneficiários terão direito a menos parcelas.

O Ministério da Cidadania, responsável pelo auxílio, afirmou que o número de
parcelas de R$ 300 (ou R$ 600 para mulheres chefe de família) depende de quando a pessoa começou a receber o auxílio.

“Quem começou a receber o auxílio emergencial em abril terá direito às quatro parcelas. Quem passou a receber a partir de julho, por exemplo, terá direito a apenas uma parcela do novo benefício, que será paga no mês de dezembro”, afirmou o ministério.

Há diversas razões para o trabalhador só ter começado a receber o auxílio depois de abril. A resposta do governo pode ter demorado, ele pode ter feito o pedido mais tarde, o cadastro ficou aberto até 2 de julho.

A justificativa do governo para limitar os benefícios é que a medida provisória que prorrogou o auxílio diz que todos os pagamentos precisam ser feitos até 31 de dezembro deste ano. Isso porque o auxílio criou gastos extraordinários que só foram autorizados pelo Congresso em função do estado de calamidade, decretado por causa da pandemia do novo coronavírus. O estado de calamidade só vai até o final do ano.

Calendário
O calendário das quatro parcelas extras ainda não foi divulgado pela Caixa (exceto para quem faz parte do Bolsa Família que começa a receber dia 17). Por isso, ainda há dúvidas sobre como o governo fará para pagar a prorrogação até o final do ano sem sobrepor calendários.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui