19.6 C
Araucária
domingo, junho 16, 2024

Câmara de Curitiba aprova moção de repúdio contra os petistas Lula e Renato Freitas

Data

Posts da semana

Empresário reage a assalto e atira contra o criminoso

Um assaltante foi socorrido em estado grave após ser...

Cantor Nahim é encontrado morto em sua casa

O cantor Nahim, foi encontrado morto em sua casa,...

Secretário de Segurança de Araucária é preso pelo Gaeco

O secretário de Segurança Pública de Araucária, Lincoln Roberto Stygar,...

A Câmara de vereadores de Curitiba aprovou, nesta terça-feira (28), por 17 votos a 3, uma moção de repúdio contra o presidente da república, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o deputado estadual do Paraná, Renato Freitas (PT), em razão de críticas direcionadas à Polícia Militar (PM), Paranaense.

O texto aprovado foi proposto por Osias Moraes (Republicanos), que, no ano passado, foi um dos autores do pedido de cassação de Freitas na Câmara Municipal.
No texto Moraes cita que Freitas teria atacado a PM “com manifestações desrespeitosas e inaceitáveis” durante discurso na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep).

A declaração, inclusive, foi alvo de representação encaminhada pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp) à Mesa Diretora. O petista nega ataque à instituição e garante que a crítica foi direcionada a policiais específicos. Ademar Traiano (PSD), presidente da Casa, também se pronunciou após o ocorrido e disse que não viu quebra de decoro, além de entender que a fala estaria amparada pela imunidade parlamentar.

Em relação a Lula, o vereador do Republicanos citou episódio ocorrido no último dia 15, durante lançamento do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci 2). Na ocasião, o presidente Lula afirmou que a população teria “medo” da polícia.

“A polícia tem medo do povo e o povo tem medo da polícia. Porque, em muitos lugares do Brasil, o povo não vê a polícia como uma coisa para lhe dar proteção. Em muitos lugares periféricos, o povo vê a polícia como uma coisa agressora da sociedade”, disse o presidente.

De acordo com a moção de repúdio, “quem tem medo de polícia é bandido”.

“A polícia tem sim que agir preventivamente e de forma ostensiva impondo respeito, passando segurança a sociedade, primando pelo zelo, honestidade e correção com a finalidade de proteger o cidadão, sociedade e os bens públicos e privados, coibindo a prática de crimes, influenciando no cotidiano das pessoas. A Polícia Militar cumpre e deve continuar cumprindo sua missão constitucional a fim de promover a ordem pública por meio do policiamento preventivo e, se necessário, repressivo”, diz a proposição aprovada.

Subiram à tribuna para defender a moção de repúdio os vereadores Eder Borges (Progressistas) e Professor Euller (MDB). Já Giorgia Prates (PT) fez a defesa correligionários.

Por Redação em 28 de março, 2023

 

- publicidade-

Economia