Por Jornal o Popular: Foto Marco Charneski

A partir do mês de dezembro, as famílias araucarienses com portadores de doenças renais crônicas verão uma antiga reivindicação se tornar realidade: a instalação de uma Clínica de Hemodiálise em Araucária.

Exatamente! Araucária ganhará um Clínica de Hemodiálise. O nome correto, na verdade, é Clínica de Diálise, já que a hemodiálise é um dos tipos de diálise, mas destacamos inicialmente o termo hemodiálise por ser mais utilizado pelo cidadão comum. A partir daqui, porém, usaremos a nomenclatura correta: clínica de diálise.

As obras para adaptação do imóvel que receberá a clínica já estão em fase adiantada e a previsão é que já nas próximas semanas passe a receber os pacientes residentes na cidade que precisam, semanalmente, se submeter a procedimento de filtragem do sangue.

A Clínica de Diálise de Araucária ficará na Avenida Archelau de Almeida Torres, esquina com a rua Pernambuco, no bairro Iguaçu. A unidade está vindo para a cidade graças a uma parceria entre a Prefeitura e a Fundação Pró Renal, que está investindo no projeto algo em torno de R$ 3,5 milhões. O valor corresponde a adequação do imóvel, instalação de mobiliário e equipamentos médicos.

“O Grupo Pró-Renal sente-se honrado em poder atender a comunidade de Araucária e contribuir para a prevenção e tratamento da doença renal. Essa parceria com a Prefeitura, que nos sensibilizou a instalar uma unidade aqui na cidade, nos motiva a sempre realizar o melhor trabalho possível no enfrentamento dessa grave enfermidade”, pontuou o médico nefrologista Miguel Carlos Riella, fundador e presidente da Fundação Pró-Renal.

Ainda segundo o Riella, dados estatísticos apontam que algo em torno de 100 moradores de Araucária precisam de diálise, sendo que a grande parte acaba tendo que se locomover várias vezes por semana a clínicas de Campo Largo e Curitiba para se submeter ao tratamento. Com a instalação da unidade aqui na cidade, essa locomoção extensa deixa de ser necessária, gerando mais qualidade de vida aos pacientes e também aos seus familiares. “O paciente que necessita de diálise precisa ir três vezes por semana para essas unidades de diálise e lá ficam ligados a máquinas que filtram o seu sangue por cerca de três, quatro horas. Isso gera um desconforto enorme, comprometendo a qualidade de vida dessas pessoas. Com a Pró-Renal aqui, esse problema acaba e isso ainda gera economia aos cofres municipais, já que a Prefeitura é quem transporta a maioria desses pacientes aos municípios vizinhos para fazer o procedimento”, acrescenta Riella.

Entusiasmado com a nova unidade, Riella pontua ainda que a clínica de Araucária, além de absorver os pacientes locais, também poderá atender aos moradores de Contenda, Lapa e Fazenda Rio Grande que precisam de diálise.

Outro ponto destacado por ele é que os serviços prestados pela Clínica de Diálise de Araucária não se resumem apenas a filtragem de sangue, mas também a vários outros cuidados que esses pacientes com doença renal crônica precisam, tudo isso feito por uma equipe multidisciplinar.

100% SUS

Riella pontua ainda que os atendimentos realizados pela Clínica da Pró-Renal em Araucária serão 100% SUS. À exceção se dá quando o paciente possui algum tipo de convênio particular de saúde. Nestes casos, ele pode acessar aos serviços por seu plano de saúde.

A capacidade de consultas da unidade araucariense é de aproximadamente 240 consultas por mês. Além disso, inicialmente, serão instaladas 20 máquinas para realização dos procedimentos de diálise, que terão a possibilidade de atender até 120 pacientes em três turnos, com a possibilidade, caso necessário, de se aumentar essa capacidade para 160 pacientes/mês, com a abertura de um quarto turno. “Ainda teremos condições de atender outros 60 pacientes em diálise peritoneal domiciliar. Enfim, é uma estrutura que atende com folga a demanda de Araucária e região por esse tipo de serviço”, enfatiza Riella.

A vinda da Pró-Renal para Araucária também gerará, inicialmente, algo em torno de 40 empregos diretos. Serão contratados enfermeiros, técnicos em enfermagem, nutricionistas, assistentes sociais, psicólogos, farmacêuticos, médicos, além de outros profissionais para o preenchimento de vagas terceirizados para higienização do ambiente, segurança e nutrição.

Cuidados integrados

A instalação da Pró-Renal em Araucária possibilitará que os pacientes da cidade tenham acesso a toda rede de serviços mantidos pela Fundação.

Essa rede contempla desde a parte a diálise feita por meio de filtragem de sangue (hemodiálise), que é a filtragem do sangue feita por meio de máquinas ou a diálise peritoneal domiciliar, que é feita em casa, sem filtração do sangue, mas que requer a introdução de um soro especial no abdômen do paciente, o qual retira as impurezas do sangue.

Os pacientes atendidos pela Pró-Renal ainda têm seus casos monitorados e avaliados constantemente quanto a possibilidade de transplantes renais. Havendo a disponibilidade do órgão, o procedimento, por ser da alta complexidade, é realizado no Hospital do Rocio, que é a unidade médica de referência em nossa região.

Outro cuidado oferecido pela Pró-Renal é com relação ao acompanhamento e tratamento daquelas comorbidades que normalmente os pacientes com doença renal crônica possuem, como diabete, hipertensão e problemas cardíacos. “Disponibilizamos a essas pessoas uma equipe multidisciplinar que vai desde o profissional de podologia, que trabalha a prevenção do chamado pé diabético; serviços de farmácia para fornecimento de medicamentos; auxílio psicológico para ajudá-los a lidar com a ansiedade e depressão que muitas vezes a doença renal acarreta. Também dispomos de nutricionistas, que orientam os pacientes com relação a alimentação correta. Fazemos também o encaminhamento para atendimento odontológico”, explica Riella.

Assistência Social

O fundador da Pró-Renal destaca ainda o atendimento feito aos pacientes pelas assistentes sociais da Fundação. “Elas atendem não só o paciente renal, mas também suas famílias. Esse trabalho é essencial, já que muitas vezes o paciente renal acaba perdendo o emprego por terem que se ausentar do trabalho três vezes na semana para as sessões de diálise. Dependendo no nível de vulnerabilidade social do paciente, nossa Fundação tem condições de fornecer benefícios complementares, como cestas básicas, medicamentos e suplementos alimentares”, explica

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui