Imagem de divulgação

Mandados são cumpridos na secretaria de administração, Finanças, Agricultura, em três escritórios e três residências – todos em Araucária, com exceção de um mandado cumprido em residência em Curitiba.

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná, cumpre na manhã desta quinta-feira, 5 de março, sete mandados de busca e apreensão em nova fase da Operação Sinecuras, que investiga ilegalidades na administração pública de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba.

O que se apura nesta investigação é um desdobramento da operação Sinicura. Questão de fundo é uma permuta imóvel realizada em 2016 – gestão anterior a do Prefeito Hissam Hussein Dehaini.

As investigações da Operação Sinecuras, deflagrada em abril de 2018, são conduzidas pelo núcleo do Gaeco de Curitiba e já geraram denúncias criminais contra dois ex-prefeitos, servidores e empresários, por corrupção para autorização de permuta ilegal de imóvel público, com prejuízo financeiro ao Município. Na fase atual, é investigado o procedimento de revogação da referida permuta e o subsequente termo de parceria entre as partes para que a mesma empresa continuasse a explorar o imóvel, com suspeita de corrupção.

A permuta supostamente lesiva foi desfeita pelo Prefeito Hissan, é o imóvel em questão retornou ao município. Da referida permuta, o que se apura é que o imóvel do Município dado em troca teria valor e qualidade superior ao imóvel recebido.

Os mandados, expedidos pela 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná, são cumpridos no gabinete do prefeito, nas secretarias de Finanças, Urbanismo e Agricultura, em três escritórios e três residências – todos em Araucária, com exceção de um mandado cumprido em uma residência em Curitiba.

As investigações da Operação Sinecuras, deflagrada em abril de 2018, são conduzidas pelo núcleo do Gaeco de Curitiba e já geraram denúncias criminais contra dois ex-prefeitos, servidores e empresários, por corrupção para autorização de permuta ilegal de imóvel público, com prejuízo financeiro ao Município.

Rui Souza e Olizandro José Ferreira: (Ex-prefeito)

Na fase atual, é investigado o procedimento de revogação da referida permuta e o subsequente termo de parceria entre as partes para que a mesma empresa continuasse a explorar o imóvel, com suspeita de corrupção.

Na operação Sinecuras: 09/09/19 – Dois ex-prefeitos de Araucária e mais sete réus são condenados por crimes contra a administração pública investigados na Operação Sinecuras 03/04/19 – Vereador de Araucária é preso no âmbito da
Operação Sinecuras, que investiga corrupção institucionalizada na administração do município 18/12/18 – MPPR denuncia nove ex-vereadores e vereadores de Araucária investigados por associação criminosa, concussão e lavagem de dinheiro 19/07/18 – Ação conjunta do Gaeco e da Polícia Militar resulta em prisão de ex-vereador de Araucária investigado na fase Mensalinho da Operação Sinecuras 16/07/18 – Investigado na Operação Sinecuras é condenado por obstrução à justiça 24/05/18 – Preso na Operação Sinecuras, ex-presidente da Câmara Municipal de Araucária tem pedido de liberdade negado pelo STJ 15/05/18 – Gaeco prende investigado na Operação Sinecuras, que apura crimes cometidos em Araucária e já levou à prisão vários políticos da cidade.

São os vereadores presos na ocasião

13/04/18 – Mais três pessoas são presas em decorrência da Operação Sinecuras, que investiga crimes com envolvimento de políticos de Araucária 05/04/18 – Operação Sinecuras no total cumpre 21 mandados de prisão em Araucária.

Assessoria de Comunicação (41) 3250-4249

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui