19.6 C
Araucária
domingo, junho 16, 2024

Governo divulga previsão de preço das praças de pedágio do Lote 2; Curitiba/Litoral está na lista

Data

Posts da semana

Empresário reage a assalto e atira contra o criminoso

Um assaltante foi socorrido em estado grave após ser...

Cantor Nahim é encontrado morto em sua casa

O cantor Nahim, foi encontrado morto em sua casa,...

Secretário de Segurança de Araucária é preso pelo Gaeco

O secretário de Segurança Pública de Araucária, Lincoln Roberto Stygar,...

Com a conclusão do leilão do Lote 2 das novas concessões rodoviárias do Paraná nesta sexta-feira (29), as tarifas destes trechos ficarão até 68% mais baratas em comparação com os valores que seriam cobrados caso o antigo modelo dos pedágios ainda estivesse em vigor. O novo contrato engloba rodovias da Região Metropolitana de Curitiba, Litoral, Campos Gerais e Norte Pioneiro.

A proposta do Consórcio Infraestrutura PR, formado pela EPR 2 Participações e a Perfin Voyager Fundo de Investimento, contém um desconto adicional de 0,08% em relação à tarifa-base por quilômetro rodado de contrato. Isso representa um valor 56% menor do que a tarifa por quilômetro rodado que seria cobrada se o Anel de Integração ainda existisse ou 38% menor do que a última tarifa vigente quando os contratos foram encerrados, em 2021.

Com o lance vencedor, a tarifa no pedágio de Jacarezinho na BR-369, que era uma das mais caras do Brasil, foi a que teve a maior redução no comparativo com os valores que seriam cobrados se o contrato anterior estivesse em vigência: 68%. Ela caiu de R$ 32,30 para R$ 10,39, levando em conta a nova tarifa-base por quilômetro rodado.

O pedágio em São José dos Pinhais, na descida da serra na BR-277 e principal trajeto para o Porto de Paranaguá, vai cair de R$ 30,90 para R$ 19,54, um desconto de quase 37%. Na praça de Carambeí, na PR-151, o valor cobrado vai cair 35%, de R$ 15,20 para R$ 9,82. Na PR-151 em Jaguariaíva, a redução vai ser de 43%, caindo de R$ 11,60 para R$ 6,55. As outras praças (Jacarezinho 2, Quatiguá e Sengés) são novas.

Ainda não há uma data definida para que as novas tarifas comecem a ser cobradas. A empresa vencedora assume a concessão após a assinatura do contrato. No dia 10 de novembro, o resultado será homologado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), com assinatura do contrato com a concessionária até 26 de janeiro de 2024.

LOTE 2 – Após a homologação do processo, o Consórcio Infraestrutura PR deverá administrar 605 quilômetros de rodovias federais e estaduais entre Curitiba, Região Metropolitana, Litoral, Campos Gerais e Norte Pioneiro pelos próximos 30 anos. Ao longo do período, a concessionária deverá investir R$ 10,8 bilhões em obras e R$ 7,9 bilhões em manutenção em trechos das BR-277, BR-373, BR-376, BR-476, PR-418, PR-423 e PR-427.

Além das tarifas mais baratas, os novos contratos de concessão preveem várias melhorias para dar mais segurança aos usuários das rodovias. Neste segundo lote, haverá a duplicação de 350 quilômetros, instalação de 138 quilômetros de faixas adicionais, 73 quilômetros de vias marginais e 72 quilômetros de ciclovias. Serão construídos ainda 107 novos viadutos, 52 passarelas, 35 pontos de correção de traçado e oito passa-faunas – estruturas que permitem o deslocamento de animais silvestres sem o risco de atropelamento.

A concessionária também deverá arcar com custos operacionais durante o período, o que inclui serviços médico e mecânico, pontos de parada de descanso para caminhoneiros e sistema de balanças de pesagem.

Novas tarifas

  • São José dos Pinhais (BR-277): R$ 19,54 (redução de 37% em relação à antiga concessão corrigida)
  • Sengés (PR-151): R$ 6,29 (nova praça)
  • Jacarezinho (BR-369): R$ 10,39 (redução de 68% em relação à antiga concessão corrigida)
  • Jacarezinho (BR-153): R$ 10,39 (nova praça)
  • Carambeí (BR-277): R$ 9,82 (redução de 35% em relação à antiga concessão corrigida)
  • Jaguariaíva (PR-151): R$ 6,55 (redução de 43% em relação à antiga concessão corrigida)
  • Quatiguá (PR-092): R$ 11,22 (nova praça).

Por AEN em 29 de setembro, 2023

- publicidade-

Economia