Foto: Divulgação

Pode ser considerado um presente: no ano em que a Guarda Municipal de Araucária completa 20 anos, o investimento em segurança pública será o maior da história da cidade, cerca de R$ 35 milhões. Com esse montante, Araucária prevê um grande investimento na infraestrutura da Secretaria Municipal de Segurança Pública (SMSP), aquisição de novas viaturas, armamentos, aumento do efetivo e mais investimento para capacitação das equipes de trabalho.

A Prefeitura de Araucária convocou este ano 103 candidatos aprovados no concurso da Guarda Municipal de Araucária. Para se ter uma ideia, em 2019 a corporação era composta por apenas 154 profissionais. Com o chamamento, a corporação da Guarda Municipal de Araucária (GMA) chegou a 280 colaboradores. Os selecionados devem passar por um curso de formação de 6 meses antes de começarem a atuar efetivamente pelas ruas.

Para equipar os novos colaboradores, estão sendo adquiridas 30 novas viaturas modelo SUV, com a aplicação de R$5 milhões. Com isso, as rondas de cada turno que atualmente são feitas com 7 viaturas, passarão a contar com 15 veículos nas ruas ao mesmo tempo, sendo 13 viaturas para área urbana e duas viaturas exclusivas para o patrulhamento da área rural. Ou seja, toda cidade estará mais protegida com reforço nas patrulhas no limite do município e perto de escolas.

Recentemente ainda foram licitados novos uniformes e acessórios de trabalho, onde estima-se aplicar o recurso de R$2,2 milhões.

Nesse quesito entra colete balístico, capa de chuva, algemas, porta carregador de munição, bastão, suporte de armas, capacetes, dentro outros. Os 280 guardas municipais e 66 agentes de segurança devem receber 3 kits de uniformes contendo calça, camisa polo, camiseta de educação física, calção, jaqueta, suéter, boné, touca e coturno. A equipe de motos receberá também cotoveleiras, joelheiras e luvas.

Como a atuação da GMA vai muito além do serviço de polícia comunitária (de orientações, preservação da ordem pública, rondas e trabalhos preventivos), há muitos atendimentos voltados para a repressão de crimes, controle de violência e prisões. Com isso, entende-se que essa categoria profissional precisa de armamentos letais e não letais e por isso, deve-se investir R$750 mil na aquisição de 150 pistolas calibre 9mm – que são mais modernas e mais seguras (até então, está sendo usado armamento calibre .380), R$600 mil em munições de treinamento e real, além de R$ 300 mil aplicados em armas de choque e em outros aparatos não letais.

Essa lista de melhorias citada inclui apenas os principais investimentos previstos, tendo muitos outros que serão feitos neste ano e que estão relacionados à infraestrutura geral da SMSP ou serão base para projetos que serão colocados em prática em outros anos.