Foto: Divulgação

Internada em um hospital de Sergipe desde o dia 11, a cantora apresentou piora clínica nos últimos dias e estava em coma.
Paulinha Abelha, vocalista do grupo Calcinha Preta, morreu nesta quarta-feira (23) aos 43 anos, confirmou a assessoria de imprensa do grupo. Internada em um hospital de Sergipe desde o dia 11, a cantora apresentou piora clínica nos últimos dias e estava em coma.

Em entrevista coletiva realizada na terça-feira (22), os médicos responsáveis pelo tratamento da cantora informaram que Paulinha estava em escala de Glasgow 3, ou seja, a “mais grave do coma” – uma pessoa saudável tem a escala Glasgow 15.

O Hospital Primavera comunicou, com pesar, que “a cantora, Paula de Menezes Nascimento Leca Viana, Paulinha Abelha, faleceu hoje [quarta-feira (23)] às 19h26 em decorrência de um quadro de comprometimento multissistêmico”.

“Nas últimas 24 horas apresentou importante agravamento de lesões neurológicas, constatadas em ressonância magnética, e associada a coma profundo. Foi então iniciado protocolo diagnóstico de morte encefálica, que confirmou hipótese após exames clínicos e complementar específicos. Ela estava internada no Hospital Primavera desde o dia 17 de fevereiro, sob os cuidados das equipes médicas de terapia intensiva, neurologia e infectologia”, complementou o hospital no informe.

A cantora seria transferida para uma unidade hospitalar de São Paulo. Mas, segundo nota da equipe da artista, Paulinha não reunia “condições clínicas seguras para realizar a transferência no momento”.

Durante a internação, a vocalista do Calcinha Preta foi acompanhada de perto pelo marido, o modelo Cleverton Santos, e pelos companheiros de banda: Daniel Diau, Bell Oliver e Silvânia Aquino.

Carreira e volta ao Calcinha Preta
Nascida em 16 de agosto de 1978, Paula de Menezes Nascimento é natural do interior de Sergipe. Ela iniciou a carreira musical aos 12 anos, cantando em bandas locais e trios elétricos em pequenas cidades sergipanas.

Antes do Calcinha Preta, ela chegou a tentar a carreira com outros grupos, criados por ela. Por 3 anos, cantou na banda Flor de Mel, um investimento próprio que precisou interromper pela falta de recursos financeiros, tanto dela quanto de seus pais.

Apesar da tristeza, Paulinha não desistiu, e pouco tempo depois foi selecionada para integrar a banda Panela de Barro. Ela ficou no grupo por mais três anos, período em que ganhou experiência e habilidade com o público.

O destaque a nível nacional, no entanto, veio a partir de 1998, quando ela entrou para o Calcinha Preta após ser descoberta pelo empresário Gilton Andrade. O grupo, que é um dos maiores nomes do forró eletrônico, foi formado em 8 de dezembro de 1995 e, desde então, já passou por diversas formações.

Paulinha deixou a banda duas vezes ao longo de sua carreira.
A primeira foi em 2010, quando tentou criar um outro projeto com demais ex-integrantes do grupo, GDO do Forró. O projeto durou apenas poucos meses e, em agosto do mesmo ano, ela formou a dupla Paulinha & Marlus, com o então marido, Marlus Viana. Em 2014, ambos retornaram ao Calcinha Preta.

Esse retorno foi breve. Paulinha decidiu novamente seguir outros projetos em 2016. Ela criou o trio Gigantes do Brasil, junto aos também vocalistas Silvana Aquino e Daniel Diau. O trio, no entanto, durou menos de um ano, e em dezembro de 2016, ela formou o duo Silvânia & Paulinha.

Em 2018, tanto Paulinha quanto Silvânia retornaram de vez para o Calcinha Preta, e permaneceram no grupo desde então. Atualmente, os vocalistas são Daniel Diau, Silvânia Aquino, Paulinha Abelha e Bell Oliver. A banda é conhecida pelo forró romântico e as superproduções para os shows.

Com o Calcinha Preta, Paulinha participou de gravações de sucesso, como “Louca por Ti”, “Ainda te Amo” e “Abro o Meu Coração”.

‘Paulinha, me diz o que eu faço!’
Uma canção que ficou bastante conhecida na voz do Calcinha Preta surgiu em 2007, e leva justamente o nome da cantora. “Paulinha” é, na verdade, uma paródia de “Without You”, de Mariah Carey, e foi criada por um fã quando a vocalista se casou com o seu primeiro marido, Marlus Viana. O grupo decidiu gravar a versão, que acabou fazendo bastante sucesso.

O refrão, bem chiclete, é um choro de lamentação: “Paulinha, me diz o que é que eu faço! / Paulinha, por que se casou?”

A discografia da banda Calcinha Preta conta com 19 álbuns de estúdio e 9 ao vivo, além de 5 DVDs oficiais e diversos álbuns e vídeos promocionais.

Folhapress em 23 de fevereiro, 2022