23.2 C
Araucária
quarta-feira, fevereiro 21, 2024

Renato Freitas é alvo de nova ação na Comissão de Ética

Data

Posts da semana

Homem de 20 anos é executado na frente do filho de 6 anos

Na noite deste domingo por volata das 21h, um...

Tj-PR mantem condenação do ex-vereador Josúe de Araucária

A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do...

Prefeito manda levar homem em situação de rua para ‘capinar’ em SC

O prefeito de Criciúma Clésio Salvaro (PSD) usou as...

O presidente da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), deputado Ademar Traiano (PSD), pediu que a Comissão de Ética da Casa instaure um novo processo para apurar a possível quebra de decoro parlamentar por parte do deputado estadual Renato Freitas (PT). A determinação ocorreu após ambos os parlamentares protagonizarem uma discussão durante a sessão plenária desta segunda-feira (9).

O bate-boca entre Freitas e Traiano ocorreu enquanto o primeiro discursava na tribuna da Alep e criticava o cristianismo e fanatismo religioso. A sessão era acompanhada por evangélicos contrários ao aborto, que se posicionaram nas galerias da Assembleia com faixas e cartazes. “Como todas as religiões, o cristianismo tem muito a oferecer, mas foi sequestrado pelo populismo religioso”, opinou o petista, que também criticou a postura “hipócrita” de alguns religiosos e de “falsos profetas”.

Os manifestantes chegaram a interromper o discurso de Renato Freitas ao se posicionarem contrários às falas feitas pelo parlamentar e o vaiaram. “Meu tempo está correndo, senhor presidente!”, protestou o petista ao se referir a Traiano. Pouco tempo depois, a deputada estadual Ana Júlia (PT) defendeu que Freitas pudesse concluir seu discurso: “Com todo respeito: a manifestação das pessoas é sempre legítima, apesar de não ser o momento adequado porque é a fala de um deputado, mas o grande problema – e é a indignação de todos os deputados (…) – é ter um outro deputado exaltando esse tipo de atitude, interrompendo uma fala de um parlamentar’, disse, ao se referir ao Tito Barichello (União).

O presidente da Alep interrompe o início de uma discussão e alega que “todos têm o direito de manifestar-se dentro de seus princípios e do que defendem”. Ele, então, pede que Renato conclua seu discurso, que denuncia: “Eu estava com aproximadamente cinco minutos no relógio e ele continuou correndo”. “Não! Seu tempo foi congelado”, responde Traiano. “Não! Não foi… Porque eu observei. Então, o senhor pode ver nas câmeras”, completou o petista.

O deputado estadual e presidente da Alep, Ademar Traiano (PSD) – Foto: Orlando Kissner/Alep

Após o início do bate-boca, Traiano cortou o microfone de Freitas e impediu que ele discursasse, afirmando que não deveria ocorrer polêmicas dentro da Casa. Exaltado, o presidente da Alep afirma que seu cargo lhe dá autonomia para cortar o microfone de qualquer parlamentar. Novamente, Freitas cobra que seu tempo de fala seja restituído, mas Traiano nega. “Então, vossa excelência encerre seu pronunciamento porque eu não vou lhe conceder mais tempo”, decidiu o presidente.

“Fique à vontade! Então, pare o meu tempo enquanto você fala, por favor! Enquanto eu falo, o senhor ouve… Porque eu me inscrevi devidamente, de acordo com o regimento dessa Casa, para estar me pronunciando. Se o senhor quer se pronunciar sobre o mérito da minha questão, faça inscrição e fale. Portanto, ouça… O senhor e os hipócritas religiosos que lotam essa Casa e que foram os mesmos que crucificaram a Cristo”, protestou o petista.

Renato Freitas foi vaiado mais uma vez pelos manifestantes que estavam nas galerias da Alep, e Ademar Traiano levantou o tom novamente: “Deputado! Não há nenhum hipócrita aqui dentro. Vossa excelência limite a sua fala. Corta! Determino que corte a palavra do deputado! Vamos em frente”.

 

Por Guilherme Lara da Rosa em 10 de outubro, 2023

- publicidade-

Economia