Comunicar erro

Richa e irmão entram com habeas corpus preventivo no TRF-4 para evitar prisões.
Ex-governador é investigado por favorecimento de licitação para obras na rodovia estadual PR-323.
O ex-governador Beto Richa (PSDB) e o irmão dele, José (Pepe) Richa, entraram com um pedido habeas corpus (HC) preventivo no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), para evitar prisões em investigações da Polícia Federal (PF). O pedido da defesa foi feito na terça-feira (16) e ainda não foi analisado pelo TRF-4. No pedido, os advogados dizem que há “expresso compartilhamento das provas produzidas na Operação Rádio Patrulha” com as investigações da PF. As informações foram divulgadas pelo G1 Paraná.
Beto e Pepe foram alvos da Operação Piloto, a 53ª fase da Lava Jato, no mesmo dia em que acabaram presos pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná. A operação da PF investiga o envolvimento de funcionários públicos e empresários com a empreiteira Odebrecht no favorecimento de licitação para obras na rodovia estadual PR-323.
Desde 14 de setembro, quando deixaram a prisão por determinação do ministro Gilmar Mendes, Beto e Pepe também possuem uma espécie de salvo conduto para evitar prisões na operação estadual.
Por Redação com G1/PR em 17 de outubro, 2018 as 18h08