Foto: divulgação

Os casos suspeitos de coronavírus investigados no Paraná chegam a 28, só em Curitiba são16, segundo boletins divulgados nesta sexta-feira (6). Todos estão com sintomas respiratórios leves, sendo acompanhados em domicílio.

Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), em boletim divulga 25 casos suspeitos, mas a Secretaria Municipal de Curitiba inclui outros três casos na capital.

Os casos form notificados nos seguintes municípios: 16 em Curitiba, 4 em Londrina, 3 em Maringá, 2 em Cascavel, 2 em Foz do Iguaçu e 1 em Santo Antonio do Paraíso.

Em nota publicada pela Diretoria de Atenção e Vigilância em Saúde, a Sesa destacou que “em de caso de suspeita de infecção pelo coronavírus, a pessoa deve procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) ou a Unidade de Pronto Atendimento na rede municipal ou ainda um Pronto Socorro na rede particular; só após a avaliação e classificação do risco, a pessoa é encaminhada para um hospital de referência, caso seja constatada a necessidade”.

A publicação ressalta que 81% dos casos da doença pelo coronavírus são leves e que “é recomendado isolamento no domicílio enquanto o paciente apresentar os sintomas, e após prescrição médica, com alerta para os sinais de gravidade, orientação ao paciente e familiares sobre medidas de prevenção da transmissão de doenças respiratórias, notificação e coleta da amostra para diagnóstico laboratorial”.

Entre os novos casos de Curitiba duas mulheres moradoras de cidades da região metropolitana de Curitiba, mas que foram atendidas em serviços de saúde da rede privada na capital, uma de 48 anos, com registro de passagem pela Itália – onde já se considera estado de epidemia da nova doença – e outra de 39 anos que esteve em viagem recente para os Estados Unidos – país com registro de circulação local do vírus.

Outras três mulheres que registraram viagens recentes para países europeus com circulação da doença, uma mulher de 27 anos que esteve na Itália, uma de 23 anos que esteve na Espanha e outra de 18 anos que viajou para a França.

Cinco dos nove casos em investigação registraram passagem por regiões dos Estados Unidos – país que já confirmou mais de cem casos da doença. Um deles a mulher moradora da região metropolitana (mencionada acima). Dois casos são crianças, um menino de 6 anos, uma menina com idade menor de 1 ano e uma menina adolescente de 11 anos.

O último caso é um homem de 31 anos que teve contato próximo com um morador da cidade de São Paulo – um familiar que esteve nos EUA – e que está em investigação como caso suspeito.

Todos os novos casos informados foram atendidos em serviços de saúde da rede privada, com sintomas leves de infecções respiratórias – febre, tosse, coriza, dor de garganta, dor no corpo, dor de cabeça.