Comunicar erro

Confirmado ao menos 25 mortos e 5 feridos.

O voo que transportava a equipe de futebol Chapecoense caiu na madrugada desta terça-feira, nas proximidades de Medellín, na Colômbia. O avião, da empresa boliviana Lamia, transportava 81 pessoas, sendo 72 passageiros e 9 tripulantes. Informações do aeroporto José María Córdova confirmam pelo menos seis sobreviventes. De acordo com nota oficial, as buscas aéreas foram encerradas por conta do mau tempo. O acesso agora só é possível por terra e o local é de difícil acesso. Cerca de 150 pessoas participam das operações de resgate.

aviao-chapecoense-acidente-colombia-sul-americana

Entre os resgatados com vida e levados para o hospital San Juan de Dios, em La Ceja, está o jogador Alan Ruschel. Ele estava consciente ao chegar no local. Os goleiros Danilo e o Jackson Follman também foram resgatados e levados a hospitais em Río Negro, cidade próxima do acidente. De acordo com a GloboNews, uma comissária de bordo também foi resgatada. A rádio colombiana Caracol afirmou que há vários mortos no acidente, mas ainda não há confirmação oficial do número.

Em entrevista à rádio, um bombeiro que está no local do acidente afirmou que há sobreviventes, mas não conseguiu precisar quantos. A temperatura no local é estimada em 5 graus. O avião não explodiu, o que aumenta a expectativa por sobreviventes.

Ocupantes do voo
A delegação da Chapecoense estava toda no voo, composta por 48 membros do time, 21 jornalistas e três convidados. Entre os ocupantes estavam os jogadores pernambucanos Kempes e Cleber Santana. Ananias, que jogou no Sport, também estava abordo do avião.

Além de jogadores e equipe técnica, jornalistas integravam a comissão, como o locutor da Fox Sports Deva Pascovicci e o ex-jogador e comentarista da Fox Sports Mario Sérgio. O prefeito reeleito de Chapecó, em Santa Catarina, Luciano Buligon estava na lista de convidados divulgada pelo time antes da viagem, mas já se manifestou dizendo que não pegou o voo que se acidentou.

Em nota, a Chapecoense afirmou que irá esperar o pronunciamento das autoridades oficiais da Colômbia. Confira abaixo a nota completa:
“Em função do desencontro das notícias que chegam das mais diversas fontes jornalisticas, dando conta de um acidente com a aeronave que transportava a delegação da Chapecoense, a Associação Chapecoense de Futebol, através de seu vice-presidente Ivan Tozzo, reserva-se o direito de aguardar o pronunciamento oficial da autoridade aérea colombiana, a fim de emitir qualquer nota oficial sobre o acidente. Que Deus esteja com nossos atletas, dirigentes, jornalistas e demais convidados que estão junto com a delegação.”