Um levantamento feito pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) em parceria com o Instituto Municipal de Turismo revela que o UFC em Curitiba, realizado no último sábado (14), movimentou R$ 45,2 milhões na economia da capital paranaense. Quase metade do público veio de fora da cidade (43%), e gastou R$ 22,2 milhões em hospedagem, alimentação, transporte e compras, além da movimentação indireta de R$ 23 milhões com fornecedores de hotéis e restaurantes.

Foi o maior espetáculo já promovido pela franquia UFC no Brasil e o terceiro em média de público em todo mundo, atrás dos eventos realizados em Melbourne (Austrália/2015) e em Toronto (Canadá/2011).

UFC mais vantajoso que Copa e Rock in Rio

Do público geral, 19.155 pessoas eram turistas, sendo 97,4 % de brasileiros vindos principalmente do interior do Paraná, seguidos de paulistas e catarinenses. Mas foi um evento nacional, com presença de visitantes de 22 estados brasileiros e também do Distrito Federal. Entre os estrangeiros, a presença mais forte de paraguaios, seguidos de espanhóis e chilenos.

O turista brasileiro gastou em média, por dia, R$ 352, enquanto o estrangeiro, R$ 681,64. O tempo de permanência médio foi de três dias na cidade. “Neste aspecto, a pesagem dos atletas, que aconteceu um dia antes da luta, ajudou bastante na permanência dos turistas”, explicou Gândara. Ainda segundo o professor, os gastos dos turistas em Curitiba foram considerados muito bons, quando comparados com outros eventos que utilizaram a mesma metodologia de pesquisa. “Os gastos foram similares ao do turista que esteve na Copa do Mundo no Rio de Janeiro e três vezes superiores à média de quem esteve no Rock in Rio 2013”, comentou. Esse resultado sem praticamente nenhum gasto do poder público.

Na Copa do Mundo os turistas brasileiros que foram ao Rio de Janeiro gastaram R$ 417 e os estrangeiros R$ 717. Já no Rock in Rio,os gastos foram de R$ 156 para os turistas brasileiros e R$ 259 para os estrangeiros.

Os gastos se justificam pelo alto poder aquisitivo do turista que esteve na Arena. Mais da metade afirmou ter renda familiar superior a R$ 5 mil: 32,1% mais de R$ 8.881,00 ; 11,7% superior a R$ 7.041 e 13,8% superior a R$ 5,2 mil.

“Curitiba demonstrou mais uma vez que está pronta para grandes eventos e está de braços abertos para recebê-los. Estamos colhendo os frutos de tudo aquilo que foi investido para a realização da Copa do Mundo. As obras de mobilidade para chegada e saída da cidade, acesso ao estádio, recinto multi-eventos, aeroporto que sempre é muito bem avaliado pelos usuários. É o legado da Copa que está aparecendo”, afirmou o presidente do Instituto Municipal de Turismo (Ctur), Caíque Ferrante.

O coordenador da pesquisa, professor José Manoel Gândara, explicou que foram entrevistadas 811 pessoas na entrada da Arena que deveriam responder perguntas relacionadas a três tópicos: perfil, gastos na cidade e satisfação. Do total de entrevistados, 349 eram residentes em Curitiba ou região metropolitana e 462 visitantes. Dos visitantes, 385 eram turistas e 77 excursionistas (pessoas que não dormem na cidade).

As avaliações dos turistas também foram extremamente positivas para Curitiba: 98,5% dos entrevistados afirmaram que recomendariam a visita à cidade para um evento de UFC e a percepção global do visitante, em relação a Curitiba e ao evento, ganhou nota 9,24 de 10 pontos possíveis. A grande reclamação dos visitantes foi quanto ao valor cobrado pelos estacionamentos ao redor da Arena, que chegou a R$ 150.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui