Newton Ishii, o Japonês da Federal, foi preso em Curitiba. O mandado foi expedido pela Vara de Execução Penal Justiça Federal de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná

Ishii está detido na Superintendência da Polícia Federal na capital paranaense. O advogado do policial informou que seu cliente Ishii foi condenado a quatro anos e dois meses, em 2003, em virtude da Operação Sucuri, que descobriu envolvimento de agentes na entrada de contrabando no país.

O caso tramita sob segredo de Justiça, porém as investigações mostraram que agentes facilitavam a entrada de contrabando no país, pela fronteira com o Paraguai.

Ishii também foi citado em meio à Operação Lava Jato na gravação que levou à prisão o senador Delcídio Amaral, em Brasília.

LAVA-JATO

Nas gravações, Delcídio fazia tratativas com o chefe de gabinete dele buscando um plano de fuga para Cerveró, que estava preso na carceragem da PF em Curitiba.

O Japa da Federal foi citado quando o grupo discutia quem estaria vazando informações para revistas. Delcídio fez referências a Ishii como um “japonês bonzinho”.

Reincidente
Não é a primeira vez que Newton Ishii é preso. Em 2003, nos primeiros meses de governo Lula, ele foi detido ao lado de 22 agentes da PF na Operação Sucuri. Na época, a acusação foi a de que os condenados “se omitiam de forma consciente e voluntária, de fiscalizar os veículos cujas placas lhes eram previamente informadas, ou realizavam fiscalização ficta, abordando os veículos para simular uma fiscalização sem a apreensão de qualquer mercadoria”.
Apesar da prisão, Newton se manteve no cargo enquanto seu recurso não era julgado. Ele chegou a ser afastado dos serviços pela própria PF, mas o Tribunal de Contas da União determinou seu retorno ao trabalho.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui