O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), a pedido do Ministério Público do Paraná, cumpre nesta terça-feira (29), quatro mandados de busca e apreensão, uma ordem de prisão preventiva contra um empresário e medidas de monitoração eletrônica e suspensão das funções de vereador. Ainda em Araucária, o Gaeco fez apreensão de documentos no Hospital e na secretaria de saúde que fica no prédio central da prefeitura. No Hospital, operação Raio-X que investiga um grupo criminoso, especializado em desviar dinheiro destinado à saúde, em diversos Estados.

No Paraná, a ação é um desdobramento da Operação Rota 66, deflagrada pelo MPPR em agosto do ano passado, que investiga polícos e empresários de Curitiba, Campo Largo, Araucária e outras cidades.

Essa é correlata a já feita em Campo Largo que dá conta de que empresários corrompendo servidores públicos para facilitar aprovação e implementação do programa Minha Casa, Minha Vida na cidade de Araucária”, descreveu Leonir Batisti, coordenador estadual do Gaeco do MPPR.

São apurados crimes de corrupção passiva e ativa e pagamento de propina para assegurar vantagem na aprovação e implementação de projetos habitacionais na cidade, além de eventual crime de extorsão. Os mandados foram expedidos pelo Juízo da Vara Criminal de Araucária.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui